Skip to main content

Fundos e Coleções

Fundos e Coleções

Arquivos Institucionais e Arquivos Particulares

Exílio em Inglaterra
Exílio em Inglaterra
Cota: BEK000001 a BEK000312
  • Beck, Ana Maria de Sousa e Holstein
  • Datas: 1912-1973
  • Código de referência: PT/AMLSB/BEK
  • Registo no Catálogo

Documentação produzida e acumulada entre 1912 e 1973, composta por fotografias da família de Ana Maria Holstein Beck, que retratam a vivência social e familiar, ao longo da sua vida, incluindo a sua estadia em Inglaterra (entre 1910 e 1918), o período em que acompanhou o exílio da família real, as suas vivências em Portugal, nas diversas casas e quintas pertencentes à família, os encontros entre família e amigos, bem como as suas viagens pela Europa.

Inclui ainda álbuns fotográficos coligidos por Diogo de Sousa e Holstein Manoel (1930-1984), filho de Ana Maria Holstein Beck.

A documentação manteve-se na posse da família de Ana Maria Holstein Beck, até ser doada à Câmara Municipal de Lisboa, cuja entrega ocorreu de forma faseada, em diferentes períodos cronológicos.

Voltar à lista

O Arquivo Municipal de Lisboa tem como missão recolher, guardar, tratar, preservar e divulgar a documentação relativa à memória da cidade, bem como promover a gestão integrada da informação produzida pela Câmara Municipal de Lisboa.

Tratando-se do arquivo da cidade capital de Portugal, constitui um dos maiores e mais antigos arquivos do país, sendo detentor de um vasto acervo documental, desde o século XIII até à atualidade, composto por fundos e coleções de proveniência diversa (quer de instituições quer de particulares), contando com documentação de natureza gráfica e textual, cartográfica e arquitetónica, fotográfica e videográfica, de grande importância para o estudo da cidade e do país. 

  • Guia de Fundos do Arquivo Municipal de Lisboa

    Guia de Fundos do Arquivo Municipal de Lisboa4 MB

    Instrumento de descrição documental que procura ser uma porta de acesso e de partilha da documentação à guarda do Arquivo Municipal de Lisboa (AML). A metodologia adotada obedeceu às normas internacionais de descrição de documentação de arquivo, designadamente a ISAD (G), e englobou um conjunto de etapas e de procedimentos que permitiram a identificação e caraterização dos fundos documentais existentes no AML. É uma publicação dinâmica e evolutiva, sujeita a alterações e atualizações periódicas, de acordo com a atividade do Arquivo.