Skip to main content

Parcerias

Parcerias

O Arquivo Municipal de Lisboa, tendo como objetivo central a promoção do património documental da cidade de Lisboa, estabeleceu ao longo dos anos relações de cooperação com entidades externas públicas ou privadas de âmbito nacional ou internacional.

Essa junção de sinergias tem estado bem patente na colaboração efetiva com o meio artístico ao longo das últimas décadas, da qual têm resultado inúmeros eventos, com especial destaque para as exposições de fotografia e para as políticas de compra, doações e depósitos de espólios. Ao mesmo tempo, o Arquivo Municipal tem definida uma estratégia clara de promoção do estudo científico dos espólios, possibilitando a colaboração com as principais universidades do país. 

Este trabalho de parceria pretende não só trazer à luz novos olhares, novas abordagens sobre a cidade, mas também potenciar o tratamento, conservação e a difusão do seu património documental.

Instituto de Estudos de Literatura e Tradição (IELT) / NOVA FCSH

Estudar os procedimentos técnicos de encadernação e ornamentação / douração do livro, é o objetivo do estudo que decorre de uma parceria estabelecida com o  Instituto de Estudos de Literatura e Tradição (IELT) / NOVA FCSH.

O objetivo desta parceria é identificar as oficinas e os artesãos que historicamente se dedicaram ao ofício na cidade de Lisboa, e os artesãos a exercer actualmente a profissão, assim como as técnicas que aplicam e como foram ensinados / ensinam. Pretende-se ainda localizar os espaços onde se situavam as oficinas, e outras práticas a eles ligados, como editores, vendedores e livreiros, alfarrabistas e leiloeiros.

Deste trabalho resultou a produção do documentário “Arte no livro”, uma produção apresentada no âmbito do Festival5L em 2022.

No âmbito deste acordo de cooperação encontra-se a decorrer uma chamada para artigos para o número 20 dos Cadernos do Arquivo Municipal, com o tema “O Livro no seu Tempo: Lugares, Matérias, Formas e Técnicas”.

A submissão de artigos pode ser feita até 31 de dezembro de 2022.

Instituto de Estudos Medievais (IEM) / NOVA FCSH

A parceria com o Instituto de Estudos Medievais (IEM) iniciou-se em 2016, e resultou para já na realização da exposição “Pão, carne e água: memórias de Lisboa medieval” que decorreu no Arquivo Nacional da Torre do Tombo em 2019, num workshop realizado na FCSH/NOVA sobre 'Lisboa Medieval e documentos de arquivo' e no congresso nacional “Desvendar memórias: arquivos e história medieval”, realizado no Teatro Aberto.

A nova fase da parceria que se encontra a decorrer, pressupõe a edição de dois livros sobre história medieval, cada um com características particulares: uma edição digital, uma edição fac-similada e uma edição impressa. 

A parceria que conta com o comissariado científico de Amélia Aguiar Andrade e Mário Farelo, tem como objetivos:

  • Divulgar a documental medieval à guarda do Arquivo Municipal de Lisboa;
  • Revelar a importância do património documental do Arquivo, o seu interesse e contributo para o estudo da história da cidade;
  • Possibilitar o acesso a um documento (livro de posturas à guarda do Archivo de Navarra) referente à cidade de Lisboa, extremamente relevante para a história da cidade (trata-se do primeiro livro de posturas da Câmara Municipal), mas que se encontra fora do país;
  • Promover parcerias com outras entidades, nomeadamente com a Academia, com a finalidade de incentivar o estudo das fontes, contribuindo para a produção e disseminação de informação e de conhecimento científico.

Infraestrutura ROSSIO - Ciências Sociais, Artes e Humanidades

O Projeto ROSSIO tem como principal missão "agregar, organizar, interligar, contextualizar, enriquecer e difundir um universo ímpar de conteúdos digitais sobre as Ciências Sociais Artes e Humanidades provenientes de atividades de investigação, repositórios, arquivos, bibliotecas, coleções de arte e bases de dados", e fornecer uma ampla, diversificada e preciosa gama de conteúdos de qualidade e serviços de grande potencial para as indústrias culturais e criativas, através de uma infraestrutura de pesquisa dinâmica, aberta, livre e gratuita para todos.

Dado valioso acervo documental à guarda do Arquivo Municipal, a Câmara Municipal é um dos parceiros do projeto.

Esta parceria conta ainda com a colaboração da Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema; da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas; da Direção-Geral do Património Cultural; da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; da Fundação Calouste Gulbenkian e do Teatro Nacional D. Maria II. 

O ROSSIO é financiado pelo Programa Operacional Regional de Lisboa, apoiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, I.P:/MCTES, através de fundos nacionais (PIDDAC), sob o projeto nº 22139 – Infraestrutura ROSSIO – Ciências Sociais, Artes e Humanidades.

Foi celebrado entre o Município de Lisboa e o ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, um Acordo de Parceria Institucional tendo por objetivo desenvolver atividades de cooperação na área da Arquitectura e Cultura Visual em Lisboa, o qual pressupõe a disponibilização do acesso à documentação do Arquivo Municipal, enquanto recurso de valor incomparável para o estudo e compreensão da arquitetura portuguesa do século XX, por via da documentação que tem à sua responsabilidade, repositório essencial de fontes documentais sobre a cidade.

A parceria tem como objetivos a realização pelo ISCTE de cursos ligados à Arquitetura e Cultura Visual em Lisboa; a promoção do conhecimento científico no âmbito das matérias a lecionar, utilizando as fontes primárias existentes no Arquivo Municipal de Lisboa; a produção de trabalhos escritos (dissertações, artigos, etc.); a divulgação dos trabalhos produzidos; o enriquecimento da informação digital disponibilizada pela Câmara Municipal de Lisboa, em matéria de arquitetura e urbanismo, nomeadamente através da produção de conteúdos informativos que complemente os registos descritivos do acervo do Arquivo Municipal; e a promoção e a divulgação do acervo do Arquivo Municipal junto da comunidade académica.

Este acordo pressupõe ainda o apoio de diversos serviços municipais, nomeadamente ligados às áreas do património cultural, urbanismo e sistemas de informação.