Skip to main content

Fundos e Coleções

Fundos e Coleções

Arquivos Institucionais e Arquivos Particulares

Código de referência: PT/AMLSB/CB/06/01/08
Éden teatro: perspetiva (pormenor)

Documentação produzida e acumulada entre 1925 e 1969, no âmbito da atividade exercida por Cassiano Branco, no domínio da arquitetura, de cariz público e privado. Reflete o trajeto pessoal, académico e profissional do arquiteto, compreendendo projetos para edificado de uso diverso (urbanístico, habitacional, comercial, industrial, espetáculo, hidroelétrico, turístico, utilização pública e recreativa).

Reúne um conjunto de propostas arquitetónicas e de soluções urbanísticas, que espelham o início da estética modernista em Portugal, mas também um ecletismo de inspiração tradicional, integrando composições com particular incidência no concelho de Lisboa.

A documentação foi adquirida pela Câmara Municipal de Lisboa, em 1990. Encontra-se atualmente à guarda do Arquivo Municipal de Lisboa, que a detém, em regime de usufruto e de propriedade jurídica.

Voltar à lista

O Arquivo Municipal de Lisboa tem como missão recolher, guardar, tratar, preservar e divulgar a documentação relativa à memória da cidade, bem como promover a gestão integrada da informação produzida pela Câmara Municipal de Lisboa.

Tratando-se do arquivo da cidade capital de Portugal, constitui um dos maiores e mais antigos arquivos do país, sendo detentor de um vasto acervo documental, desde o século XIII até à atualidade, composto por fundos e coleções de proveniência diversa (quer de instituições quer de particulares), contando com documentação de natureza gráfica e textual, cartográfica e arquitetónica, fotográfica e videográfica, de grande importância para o estudo da cidade e do país. 

  • Guia de Fundos do Arquivo Municipal de Lisboa

    Guia de Fundos do Arquivo Municipal de Lisboa4 MB

    Instrumento de descrição documental que procura ser uma porta de acesso e de partilha da documentação à guarda do Arquivo Municipal de Lisboa (AML). A metodologia adotada obedeceu às normas internacionais de descrição de documentação de arquivo, designadamente a ISAD (G), e englobou um conjunto de etapas e de procedimentos que permitiram a identificação e caraterização dos fundos documentais existentes no AML. É uma publicação dinâmica e evolutiva, sujeita a alterações e atualizações periódicas, de acordo com a atividade do Arquivo.