Skip to main content

Fundos e Coleções

Fundos e Coleções

Arquivos Institucionais e Arquivos Particulares

Livro da sacristia do convento de São Francisco de Xabregas
Código de referência: PT/AMLSB/CSFX/02/01/01
  • Ordem dos Frades Menores. Convento de São Francisco de Xabregas
  • Datas: 1737-1813
  • Código de referência: PT/AMLSB/CSFX
  • Registo no Catálogo

Documentação produzida entre 1737 e 1813, constituída por livros contendo informações relativas ao quotidiano do convento. Inclui um livro da sacristia, datado de 1737, com a relação dos instituidores das capelas, por ordem alfabética, onde são referidas as disposições testamentárias, quanto à periodicidade das missas e quantias destinadas.
Contém ainda dois livros de registo mensal das receitas e despesas do convento, datados de 1795 a 1799 e de 1809 a 1813. Este segundo livro contém dois requerimentos de frei Joaquim da Santa Ana Almeida, antigo guardião do convento.

Desconhece-se a proveniência da documentação até ao seu ingresso no Arquivo Municipal de Lisboa.

Voltar à lista

O Arquivo Municipal de Lisboa tem como missão recolher, guardar, tratar, preservar e divulgar a documentação relativa à memória da cidade, bem como promover a gestão integrada da informação produzida pela Câmara Municipal de Lisboa.

Tratando-se do arquivo da cidade capital de Portugal, constitui um dos maiores e mais antigos arquivos do país, sendo detentor de um vasto acervo documental, desde o século XIII até à atualidade, composto por fundos e coleções de proveniência diversa (quer de instituições quer de particulares), contando com documentação de natureza gráfica e textual, cartográfica e arquitetónica, fotográfica e videográfica, de grande importância para o estudo da cidade e do país. 

  • Guia de Fundos do Arquivo Municipal de Lisboa

    Guia de Fundos do Arquivo Municipal de Lisboa4 MB

    Instrumento de descrição documental que procura ser uma porta de acesso e de partilha da documentação à guarda do Arquivo Municipal de Lisboa (AML). A metodologia adotada obedeceu às normas internacionais de descrição de documentação de arquivo, designadamente a ISAD (G), e englobou um conjunto de etapas e de procedimentos que permitiram a identificação e caraterização dos fundos documentais existentes no AML. É uma publicação dinâmica e evolutiva, sujeita a alterações e atualizações periódicas, de acordo com a atividade do Arquivo.