Skip to main content

Topografias Imaginárias 2019

O som da cidade no cinema / Sinfonia Urbana

6.º ciclo de visionamentos comentados | 2019

A 6ª edição do ciclo 'Topografias Imaginárias' foi dedicada ao lado mais esquecido da criação cinematográfica e da vivência da cidade: o som.

Ao longo de quatro sessões organizadas entre setembro e dezembro de 2019, numa sessão por mês, este ciclo de visionamentos comentados fez um percurso pela cidade e pelo cinema: cada filme foi comentado no local onde foi rodado, permitindo assim ter ao mesmo tempo uma experiência da sonoridade do filme e da cidade real e atual onde este foi realizado.

O ciclo arrancou a 28 de setembro com a experiência sonora mais radical do programa: o filme 'Lisboa, Crónica Anedótica', um retrato monumental da cidade realizado em 1930 por José Leitão de Barros, e um dos últimos filmes mudos realizados em Portugal, sendo projetado ao ar livre no Largo do Calvário, sem som, tendo a própria cidade a sonorizar esse retrato (ainda hoje atual) da cidade. 

Nos meses seguintes, o filme 'Belarmino' (Fernando Lopes, 1964) foi comentado no Grupo Desportivo da Mouraria (onde a personagem principal do filme praticava boxe), o filme Kilas, o mau da fita (José Fonseca e Costa, 1980) era visto na Casa do Alentejo (onde em parte foi filmado), e o filme 'A Janela' (Maryalva Mix) de Edgar Pêra (2001) será comentado no bairro da Bica, no Marítimo Lisboa Clube, Calçada da Bica Grande.

Os filmes foram comentados por músicos, técnicos de som, investigadores do cinema e da cidade, como Branko Neskov, José Bértolo, Manuel Deniz Silva, João Pedro Cachopo, Ricardo Vieira Lisboa, Patrícia Castello Branco, entre outros.

Nesta edição foi também lançado o livro 'Um Mapa de Lisboa no Cinema', editado pelo Arquivo Municipal de Lisboa – Videoteca com a Dafne editora, um livro construído com base na transcrição e remontagem das sessões de 'Topografias Imaginárias' dedicadas à arquitetura. 

O som da cidade no cinema tema de três ciclos das 'Topografias Imaginárias', foi desenvolvido em parceria com o projeto 'Fragmentação e Reconfiguração: a experiência da cidade entre arte e filosofia' do Instituto de Filosofia da Universidade Nova de Lisboa - IFILNOVA/FCSH.